Empreitada de Eletrificação do troço Faro-V.R. de Santo António

2020-11-02

Foi publicado em Diário da República o concurso público para a empreitada de Eletrificação da Linha do Algarve, entre Faro e Vila Real de Santo António, num troço de 56 quilómetros.

O concurso tem um valor base estimado de 23 milhões para a eletrificação da linha com o sistema 25 kV/50Hz, e envolve, entre outros, os seguintes trabalhos:

  • Instalação do sistema de Retorno de Corrente de Tração e Terras de Proteção;
  • Construção da nova Zona Neutra de Loulé (ZN de Loulé), a instalar ao km 322+800;
  • Construção em todo o troço de uma nova infraestrutura de suporte aos sistemas de Sinalização e Telecomunicações;
  • Rebaixamento da via;
  • Alteamento de encontros de tabuleiros;
  • Estabilização de taludes;
  • Intervenções em sistemas de drenagens;
  • Intervenções nos edifícios das estações e apeadeiros.

A empreitada agora em fase de concurso tem um prazo de execução previsto de 23 meses, estimando-se que esteja concluída no final de 2023 e integra a candidatura a submeter no âmbito do Compete 2020, designada “Empreitada de Eletrificação da Linha do Algarve no troço Faro-Vila Real de Santo António”, referente à qual se prevê um financiamento comunitário de cerca de 85%.

Eletrificação da Linha do Algarve

O projeto de eletrificação da Linha do Algarve, que está a ser desenvolvido pela Infraestruturas de Portugal, está integrado no Plano de Modernização da Rede Ferroviária Nacional, “Ferrovia 2020”.

O projeto de eletrificação da Linha do Algarve, para além do troço referido, inclui ainda o de Tunes-Lagos – a lançar brevemente, com um investimento total de 64,8 milhões de euros, e tem como principais objetivos:

  • Assegurar que todo o trajeto na Linha do Algarve possa ser realizado com recurso a material circulante elétrico, com claros ganhos ambientais e vantagens relativamente à melhoria de qualidade do material circulante;
  • Melhorar a mobilidade no arco metropolitano do Algarve;
  • Potenciar o sistema ferroviário com condições de operação que sejam independentes do consumo de combustíveis fósseis.

 

Este investimento na Linha do Algarve é comparticipado pela União Europeia, no âmbito do Portugal 2020 com o apoio do Compete 2020, e  engloba o desenvolvimento de Estudos e Projetos, a construção de uma subestação de tração elétrica em Olhão, ampliação da subestação de tração elétrica de Tunes, a execução de duas empreitadas - troço Faro-VRSA e Tunes Lagos - de “Conceção/Execução para remodelação do sistema de energia das salas técnicas e reformulação de passagens de nível”, e uma empreitada de trabalhos associados aos sistemas de telecomunicações ferroviárias.